quarta-feira, 4 de novembro de 2009

you are my only life

É incrível como num segundo tudo muda. Ainda há uns dias eras a pessoa mais importante da minha vida, agora nem sei bem como estamos.
Tenho saudades tuas, mas acima de tudo , tenho saudades nossas e daquilo que éramos. Estar chateada contigo a pior sensação do mundo. É horrível, ver-te e não te poder dar um abraço cheio de força, como fazíamos antigamente. Agora, limitamo-nos a uma troca de olhares, e não , isso não me basta.
A minha vontade era agarrar-te, dizer ao mundo inteiro que és minha!, e nunca mais te largar.
Admito que não tenho jeito nenhum para lidar com este tipo de situações. Só te posso dizer que preciso de ti como sempre precisei. Nada mudou em relação ao que eu sinto, mas calculo que muita coisa tenha mudado em relação a ti, mas acho que estou disposta a aguentar isso… acho.
Hoje, fechada no meu quarto, foi impossível conter as lágrimas, enquanto via fotos nossas. Pelos sorrisos, qualquer um diria que éramos completamente felizes juntas . E éramos. Era uma amizade tão grande que quase parecia irreal. Mas será que nunca passou mesmo disso ? Uma ilusão ? Faz-me acreditar que não, por favor. Não quero mais dias destes. Nada é igual sem ti.
amo-te .

5 comentários:

  1. Estive a ler os teus postes referentes à vossa amizade 'moribunda', e achei que talvez possa ajudar-te. Eu e a minha melhor amiga tivémos uma situação semelhante. Há cerca de um ano, pouco menos, talvez, entrámos num circo em que se sucedem/sucediam(ainda não sei)discussões/pazes/discussões. Muitas vezes as discussões foram por coisas ridículas, outras por coisas sérias, ou pelo menos sérias para mim. Infelizmente, não sei, parece que o destino quer que eu fique sempre por cima. Não gosto desse papel, sabes? Não ambiciono ter sempre razão e considero-me uma pessoa flexível, mas acho que acabei por ter sempre razão, pelo que no fim era sempre ela a pedir-me desculpas d'algum modo, a prometer mudar, eu a prometer ser mais 'tolerante', porque também sou difícil. Mas connosco não são dois anos, são 7 anos. 7 anos em que agora, no segundo ando da faculdade, em faculdades diferentes, continuamos a ver-nos com a maior frequência, a falar diariamente, tanto ou talvez até mais do que se estivéssemos no secundário juntas a cada intervalo. É muita coisa, como deves saber: músicas, situações, piadas privadas, segredinhos. Zangámo-nos por quase dois meses este ano, de setembro a quase novembro, por um motivo sério. Na realidade, fui eu que me chateei com ela porque considerei as suas atitudes erradas frequentemente, muitas vezes não só perante mim, mas perantes outras pessoas por quem me importo e que julgava/julgo que ela também se importa/importava. Acontece, que descobri uma entrada no diário do hi5 dela na qual dizia ter saudades, for real, de todas estas coisinhas que te digo que tínhamos. Apercebi-me que às vezes, na rua, acontecia qualquer coisa que era a ELA que tinha que contar, e olha que tenho outras duas amigas (uma de há 10 anos e outra de há 8/9) de quem gosto tanto ou igual, e mesmo assim sentia a falta dela, porque ela era a 'melhor amiga'. Uma colega de faculdade disse-me que perdeu a sua melhor amiga desde os 3 anos no secundário e q tem imensa pena q isso tenha acontecido. ficou reduzida a estar sozinha com o namorado, o que parece muito mas por vezes é mto pouco. Por isto, e por gostar tanto desta minha melhor amiga, fizémos as pazes. Sabes que estratégia estamos a tentar desta vez? Ela faz o que quer com a sua vida, magoe-se a si ou aos outros. A mim não magoa porque espero não permiti-lo. Pedi-lhe somente que não me minta - isto não quer dizer que tem que me contar o que faz - simplesmente lhe pedi que não me minta, para que não aconteça ela dizer-me 'fui à praça' e eu encontrá-la sem querer na biblioteca, entendes?

    A amizade, infelizmente (penso eu, porque a empobrece) tem de ser disassociada de muitas coisas - separa-a de rapazes, de questões familiares, da vida privada (mas mesmo PRIVADA) da outra. Aceita-a como é, se a verdade é que gostas dela incondicionalmente, e luta pelo que têm se é/foi tão especial. Dois anos são uma vida, acredita, estes últimos dois anos tenho-os bem presentes em mente.

    Mas, atenção, não sejas tola. Não te metas nas mãos dela, não gastes tu as fichas todas. Descobre se ela também está disposta a alguns 'sacrificios' por ti. Caso contrário, mais vale deixares de sofrer e cortar a coisa aí.

    Um abraço,

    ResponderExcluir
  2. para começar o texto está muito bonito, sentido, realista! não deves pensar que seja o fim, ou que nada valeu a pena. porque se foram assim tão importantes uma para a outra nada poderá estragar, e juntas podem ter a força necessária para ultrapassar qualquer coisa. :)
    força!

    vou seguir
    beijinho

    ResponderExcluir
  3. escreves mesmo bem :$

    ResponderExcluir
  4. Esse texto falou tudo que eu estou passando neste exato momento. "É incrível como num segundo tudo muda. Ainda há uns dias eras a pessoa mais importante da minha vida, agora nem sei bem como estamos."

    ResponderExcluir